O Slow Food foi fundado em 1986, pelo ativista Carlo Petrini, como uma associação enogastronomica, na cidade de Bra, que fica no norte da Itália. O movimento tem como principal bandeira a associação entre a qualidade dos alimentos e a qualidade de vida, de uma perspectiva global e preocupada com o desenvolvimento sustentável em toda a cadeia da alimentação.

Tinha como objetivo principal apoiar e defender a boa comida, um ritmo de vida mais lento e o prazer gastronômico. Um pouco mais tarde, essa iniciativa ampliou-se para abranger a qualidade de vida e, a sobrevivência do nosso planeta.

O MOVIMENTO SLOW FOOD 

O Slow Food, por meio dos seus conhecimentos gastronómicos relacionados com a política, a agricultura e o ambiente, tornou-se uma voz ativa na ecologia e na agricultura. O Slow Food conjuga o prazer e a alimentação com consciência e responsabilidade. As atividades da associação visam defender a biodiversidade na cadeia de distribuição alimentar, difundir a educação do gosto, e aproximar os produtores de consumidores de alimentos excepcionais através de eventos e iniciativas

ORIGEM DO NOME

A expressão “slow food” é inglesa e pode ser explicada como: 

Slow – que significa lento 

Food – que significa alimento, comida. 

Só com essas explicações, já percebemos que é um movimento oposto ao “Fast-Food” (comida rápida). 

DEFESA DA BIODIVERSIDADE 

O Slow Food acredita que o prazer de saborear boa comida e vinhos excelentes deve ser combinado com esforços para preservar os inumeráveis queijos tradicionais, cereais, vegetais, frutas e raças animais que estão a desaparecer devido ao predomínio de refeições rápidas e do agronegócio. Através da Arca do Gosto, dos projetos das Fortalezas (apoiados pela Fundação Slow Food para a Biodiversidade), do Prémio Slow Food para a Biodiversidade e do Terra Madre, o Slow Food procura salvaguardar o nosso inestimável património gastronómico.

EDUCANDO O GOSTO

Num mundo onde os prazeres do gosto nem sempre se apreendem durante refeições alegres em volta duma mesa animada, devemos fazer um esforço consciente por explorar, questionar e experimentar. Este é o objectivo das iniciativas de educação do gosto do Slow Food. As actividades dos Convivia apresentam novos produtos aos associados enquanto que os Laboratórios do Gosto proporcionam degustações guiadas por especialistas de gastronomia. Os consumidores mais jovens beneficiam do Slow Food nas Escolas, e os verdadeiros gastrónomos são treinados na Universidade de Ciências Gastronómicas.

Com uma abordagem fresca e inovadora, baseada em despertar e treinar os nossos sentidos, o Slow Food encara as degustações como uma experiência educativa que alarga consciências. O Slow Food organiza programas educativos a todos os níveis e para todos os públicos: crianças, professores, associados e qualquer pessoa que queira participar num evento do Slow Food.

 As atividades dos Convivia variam desde visitas a pomares de maçãs na Tasmânia, até passeios por vinhas e campos em França. Passando pela degustação de novos produtos, fazendo cursos e visitando explorações, os membros dos Convivia refinam os seus conhecimentos de sabores e expandem a aprendizagem e a estima pela produção. Trabalhando junto das escolas e dos produtores locais e organizando simpósios com autores e especialistas, os Convivia trazem a educação do gosto e temas pertinentes para debate a um público mais alargado. 

Laboratórios do Gosto, a imagem de marca dos eventos internacionais e locais do Slow Food, possibilitam aos participantes a prova de produtos enquanto estes estão a ser descritos e debatidos pelos produtores e especialistas. Um laboratório pode concentrar-se num produto especifico como, por exemplo o mel, ou fazer uma degustação comparada de produtos diferentes obtidos de uma forma semelhante, como a mozzarella fresca e o caciocavallo, dois queijos de pasta filata muito diferentes. Há também um grande cuidado em combinar os produtos com uma bebida adequada, quer sejam as combinações tradicionais (caça com vinho tinto) ou inovadoras (cerveja e chocolate)

SLOW FOOD ON FILM – BRA – ITÁLIA 

Este Festival Internacional de Cinema, projetado para criar uma nova consciência crítica relativamente à cultura alimentar, oferece incentivos à produção e distribuição de curtas-metragens e pequenos documentários tendo como tema a alimentação e a memória gastronómica como um património a salvar. O festival decorre na Primavera dos anos pares. 

Temos serviço de guia em português em Bra e em toda região da Piemonte, além de tours gastronômicos para conhecer e degustar a região. 

Sobre Deyse RibeiroEu sou Deyse Ribeiro, proprietária e editora do Portal Tour na Itália, especialista em turismo na Itália, onde vivo desde 2007. Depois de muito estudo, cursos e experiência no campo do turismo enogastronômico, decidi que queria apresentar a história por trás do prato, de uma forma diferente, através da memória histórica, o que fez chegar hoje nas nossas mesas, os “casos”, o trabalho, a cultura, e o amor pela culinária italiana. Pegue o seu garfo e vamos nessa!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Experimente a Gastronomia Italiana